Nome da Foto
Araracanga. Foto: Haroldo Palo Jr.

Notícias

25 mai 2018
Pagamento por Serviços Ambientais

Projeto Conexão Mata Atlântica reforça importância de conservar floresta tropical

Com o dia 27 de maio dedicado à sua conservação, o bioma é contemplado em programa de restauração ecológica, regeneração natural e práticas conservacionistas

​​Mata Atlântica é foco de projeto que conta com a parceria da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza.
Crédito: Haroldo Palo Jr.
Mais uma data que fortalece a preocupação com o meio ambiente é comemorada nesta semana e tem foco em um dos biomas mais ameaçados do Brasil: a Mata Atlântica. No próximo dia 27 de maio, a floresta tropical que ocupa o leste, sudeste e sul do Brasil, além de algumas regiões fora do território brasileiro, é lembrada e reacende o debate da importância de sua conservação. Conhecida por ser um dos locais mais ricos em espécies de flora e fauna no mundo e também um dos mais ameaçados, a Mata Atlântica é também o bioma em que vivem mais de 70% dos brasileiros.
 
Com o objetivo de conservar áreas desse bioma, foi lançado o Conexão Mata Atlântica, um programa coordenado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTIC), em parceria com os Estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, e financiado pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF) por meio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O projeto tem como foco o incentivo do manejo sustentável da paisagem florestal pelos proprietários rurais da bacia do rio Paraíba do Sul, por meio da promoção de atividades de restauração ecológica de florestas nativas, regeneração natural assistida e práticas conservacionistas de uso do solo e da água.
 
No estado do Rio de Janeiro o projeto é uma iniciativa do Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (Inea) e da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento (SEAPPA), em parceria com a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio de Janeiro (Emater-Rio), a Fundação Educacional Dom André ArcoVerde (CESVA/FAA), a Companhia Estadual de Águas e Esgoto (Cedae) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). 
 
“O nosso objetivo é promover a adequação ambiental das propriedades rurais associadas ao desenvolvimento econômico sustentável, por meio de instrumentos econômicos como o Pagamento por Serviços Ambientais.  Essa iniciativa promove mais uma oportunidade para a implementação de mecanismos para sustentabilidade e recuperação ambiental da Mata Atlântica. Trata-se de um programa focado na melhoria da provisão de serviços ecossistêmicos de conservação da biodiversidade e  sequestro de carbono em propriedades rurais. Isso irá proporcionar, a médio e longo prazos, a reversão do quadro de degradação ambiental da bacia do rio Paraíba do Sul”, avalia Marie Ikemoto, funcionária do INEA e coordenadora do projeto Conexão Mata Atlântica no Estado do Rio de Janeiro.

A Fundação Grupo Boticário participou da construção dos pilares do programa desde o início de 2017 e segue apoiando também no desenho do Programa de Sustentabilidade Financeira, focado na aceleração de negócios na região de atuação. Este segundo programa aporta conhecimentos relacionados à agenda de Negócios de Impacto que, além de gerar receita, tem o propósito de gerar benefícios sociais e/ou ambientais, com base na experiência das iniciativas Oásis e Araucária+.
 
O Oásis é uma iniciativa de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) criada há 12 anos, atualmente estruturada em uma rede de impacto, que promove a valorização dos ambientes naturais por meio de mecanismos de incentivo econômico a proprietários que se comprometam com a conservação das áreas naturais e a adoção de práticas conservacionistas de uso do solo. Já o Araucária + é uma iniciativa desenvolvida em Santa Catarina com o objetivo de gerar inovação em negócios que contribuem para a conservação da floresta com araucárias.
 
“O Programa de Sustentabilidade Financeira terá grande visibilidade e potencial de geração de cases que integram a agenda PSA e Negócios de Impacto, um dos focos da Fundação Grupo Boticário”, explica o coordenador de Soluções Baseadas na Natureza da Fundação Grupo Boticário, Renato Atanazio.
 
O edital do Conexão Mata Atlântica está com as inscrições abertas até 26 de junho e permite que todos os selecionados recebam recursos a título de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) para adequação ambiental e investimentos em suas atividades produtivas. Os interessados podem acessar mais informações sobre o projeto pelo site www.inea.rj.org.br/conexaomataatlantica. Para consultar o edital acesse: https://goo.gl/jaAPYE​.